SONDAGEM - CIESP

SONDAGEM

Maioria dos brasileiros apóia o fim da CPMF

 

Dados da pesquisa Ipsos encomendada pelo Ciesp e pela Fiesp no mês de janeiro constataram que a maioria da população brasileira é a favor da extinção da CPMF, e espera que o governo promova melhorias na forma como executa seus gastos. De acordo com o trabalho, que reúne mil entrevistas em 70 cidades e nove regiões metropolitanas, 60% dos entrevistados apóiam o fim da cobrança do tributo, enquanto 22% são contra e 17% não opinaram ou não souberam responder.

 
Na avaliação por classe social, 72% dos consultados pertencentes às classes A e B são a favor da extinção. O índice de aprovação na classe C é de 61%, e de 56% entre as classes D e E – embora, nesta última, um percentual inferior à média tenha se posicionado contra o fim da cobrança, e uma grande proporção não sabe ou não respondeu (24%).
 
A pesquisa ainda avaliou a percepção do consumidor brasileiro em relação à atitude do governo federal para adequação orçamentária após o fim da CPMF. Neste quesito, 36% esperam que o governo corte gastos desde que não seja na área de saúde, educação ou projetos sociais, e 32% desejam que o governo controle seus gastos, sem necessariamente cortá-los, aumentando a eficiência e diminuindo os desperdícios. Apenas 5% dos entrevistados se manifestaram a favor da ampliação da base de arrecadação, e 3% concordam com algum tipo de aumento de impostos.
 
Em relação aos impostos de uma forma geral, a melhor administração dos gastos pelo governo é apoiada por 64% da amostra como forma de reduzir a carga tributária, enquanto 36% consideram inevitável o corte no orçamento. Aumentar a arrecadação, no entanto, é uma alternativa pouco aceita entre os entrevistados (22%), enquanto, nesta base de comparação, 77% acham mais importante o controle de gastos.
 
A apuração revelou, ainda, que a maioria das pessoas (62%) considera que a redução de impostos obriga o governo a fazer um melhor planejamento orçamentário, e, para 38%, é o controle das despesas que leva à redução da carga tributária. Clique aqui para ver a pesquisa na íntegra.
 
Veja também:
Estudo da Fiesp/Ciesp sobre Adequação do Orçamento Federal após o fim da CPMF
 
Agência Ciesp de Notícias
Mariana Ribeiro
18/02/2008