Setor sucroalcooleiro puxa variação positiva de empregos no interior paulista - CIESP

Setor sucroalcooleiro puxa variação positiva de empregos no interior paulista

O desempenho positivo do setor sucroalcooleiro no nível de emprego industrial em março – atividade concentrada no interior paulista – provocou uma alta no índice isolado da região: 1,33%, contra queda de 1,05% na Grande São Paulo. O levantamento é feito mensalmente pelo Ciesp e a Fiesp.

O setor sucroalcooleiro empregou 27 mil trabalhadores em março (1,11%), contra um saldo negativo de quase 20 mil vagas (-0,80%) nos demais setores da indústria.

Das 36 diretorias do Ciesp no estado que compõem a pesquisa, o saldo positivo de empregos industriais no último mês foi mais forte nas seguintes regiões:

Araçatuba (11,03%), com expressiva alta nos setores de Coque, Petróleo e Biocombustíveis (42,72%) e Produtos Alimentares (12,95%);
Araraquara (10,06%), puxada principalmente por Produtos Alimentares (36,07%);
Presidente Prudente (9,16%), com destaque para Coque, Petróleo e Biocombustíveis (56,69%) e Móveis (8,92%).

As regiões que encabeçaram as demissões no estado foram:

São Caetano do Sul (-5,18%), influenciada por Veículos Automotores (-9,17%) e Produtos de Metal (-2,79%);
Jacareí (-4,42%), principalmente nos setores de Vestuário (-7,32%) e Máquinas e Equipamentos (-6,61%);
Mogi das Cruzes (-3,01%), puxada por Celulose e Papel (-3,07%) e Metalúrgica (-2,33%).

Indicadores setoriais
Em março, 16 segmentos da indústria tiveram saldo negativo de vagas, cinco deles mais contrataram do que demitiram e um permaneceu estável.

As atividades ligadas ao setor sucroalcooleiro foram as que mais abriram postos no período: Fabricação de Coque, Petróleo e de Biocombustíveis (23,9%) e Produtos Alimentícios (9,7%), seguidos de Couros (0,7%) e Móveis (0,4%).

Ainda influenciados pelos efeitos da crise, os setores que mais demitiram no mês foram:

– Equipamentos de Informática, Produtos Eletrônicos e Ópticos (-2,7%);
– Metalurgia (-2,6%);
– Máquinas e Equipamentos (-1,9%);
– Veículos Automotores (-1,7%), cuja cadeia produtiva ainda promove ajustes em função do menor patamar de produção em relação ao ano anterior.

> Veja o relatório regional

Mariana Ribeiro, Agência Ciesp de Notícias