Setor sucroalcooleiro ameniza queda do emprego no estado; Sensor arrefece em maio - CIESP

Setor sucroalcooleiro ameniza queda do emprego no estado; Sensor arrefece em maio

Em maio, 14 segmentos da indústria tiveram saldo negativo de vagas, um ficou estável e sete deles mais contrataram do que demitiram, segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (17) pela Fiesp e o Ciesp.


As atividades que mais geraram empregos no mês foram as ligadas à produção de açúcar e álcool: Fabricação de Coque, Petróleo e de Biocombustíveis (3,1%) e Produtos Alimentícios (1,1%), seguidas de Produtos Diversos (0,8%) e Produtos Farmoquímicos e Farmacêuticos (0,7%).


Os setores que mais demitiram no mês foram:


– Metalurgia (-1,8%);
– Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-1,2%);
– Produtos de Minerais Não-Metálicos (-2,2%).


Regiões
Concentrada no interior paulista, a atividade das usinas amenizou a queda do índice de emprego isolado da região: -0,12%, contra -0,24% na Grande São Paulo.


Das 36 diretorias do Ciesp no estado que compõem o levantamento, o saldo positivo de empregos industriais é mais forte nas seguintes regiões:


– Sertãozinho (2,62%), com expressiva alta nos setores de Coque, Petróleo e Biocombustíveis (24,66%) e Produtos Alimentares (5,44%);
– Presidente Prudente (2,08%), puxada principalmente por Coque, Petróleo e Biocombustíveis (25,53%) e Couro, Calçados e Artigos de Viagem (3,14%);
– Araçatuba (1,56%), com destaque para Produtos Alimentares (15,52%) e Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (2,06%).

As regiões que encabeçaram as demissões no estado foram:


– Cubatão (-3,13%), influenciada por Metalurgia (-6,26%) e Produtos Químicos (-0,31%);
– São José do Rio Preto (-3,04%), principalmente nos setores de Produtos Alimentares (-9,70%) e Vestuário (-2,65%);
– São Carlos (-2,63%), puxada por Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-1,20%) e Produtos Alimentares (-1,07%).

Sensor
O indicador antecedente da Fiesp voltou a ficar mais próximo da linha neutra, com 50,8 pontos na primeira quinzena de junho, após três resultados mais positivos – 51,4, 53,2 e 51,4 nas três apurações anteriores.


“Houve um suspiro breve em relação ao que vinha ocorrendo em meses anteriores, mas o resultado desta quinzena mostra um estoque ainda maior que o desejado (40,5), mercado (58) e vendas (54,4) em ligeira queda e apenas o investimento (51,9) mantendo pequena melhora”, avaliou Paulo Francini.


A expectativa dos agentes quanto aos postos de trabalho marcou 48,9 pontos na quinzena, contra 48,3 pontos na medição anterior.


Mariana Ribeiro, Agência Ciesp de Notícias