Produção industrial registra ligeira alta, mas já dá sinais de desaceleração - CIESP

Produção industrial registra ligeira alta, mas já dá sinais de desaceleração

 

O INA, Indicador do Nível de Atividade da indústria paulista, divulgado hoje pelo Centro e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp e Fiesp) apresentou alta de 0,2% em outubro contra setembro. Sem ajuste sazonal, a expansão foi de 3,4%
 
Na comparação com outubro do ano passado o incremento foi de 4,6% enquanto no acumulado do ano, o crescimento é de 7,5% em comparação ao mesmo período de 2007. Nos últimos 12 meses, a produção registrou avanço de 7,7%.
 
“O resultado de outubro foi razoável dada a atmosfera de crise, mas a tendência é de decréscimo para os próximos meses. Estamos a beira de um processo da redução da atividade econômica”, avaliou Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos do Ciesp e da Fiesp.
 
De acordo com Francini, a retração ainda não foi sentida em outubro devido ao crescimento expressivo de 4,7%, sem ajuste sazonal, das vendas reais. “O resultado é bastante expressivo e altamente influenciado pelo ganho cambial das vendas externas. Enquanto as vendas internas foram responsáveis pelo crescimento de 2,8%, as externas, medidas em reais, subiram 15%”.
 
Desempenho setorial
Entre os setores analisados que obtiveram crescimento, destaque para Alimentos e Bebidas – sem ajuste sazonal o incremento foi de 6,3% e, com ajuste, de 3,6%. A recuperação do setor, segundo Francini foi causada pela redução dos preços dos alimentos ocorrida no mercado internacional.
 
Outro setor com forte expansão é o de Veículos Automotores com alta de 7,4% sem ajuste, e de 1,4% na série dessazonalizada. Entre os setores em queda está o de Produtos Químicos, Petroquímicos e Farmacêuticos, com baixa de 3,1% com ajuste sazonal.
 
Sensor aponta preocupação
Ciesp e Fiesp também divulgaram nesta quinta-feira (27) o Sensor de novembro. O indicador que mede a atividade da indústria no próprio mês de coleta de dados, aponta preocupação do empresariado paulista. Todos os itens – Mercado, Vendas, Estoque, Emprego e Investimentos ficaram abaixo do patamar 50. “Os números são prenúncio de que a atividade vai se reduzir”, avaliou Francini.
 
Veja o estudo completo
 
Rose Matuck
Agência Indusnet Fiesp
27/11/2008