Presidente do Peru diz que para resistir à crise é preciso investir na integração do Continente - CIESP

Presidente do Peru diz que para resistir à crise é preciso investir na integração do Continente

 

O presidente do Peru, Alan García Perez, afirmou na manhã desta quinta-feira (18) que a aproximação entre os países da América do Sul é importante para evitar efeitos negativos da crise econômica mundial.

“O mundo hoje se sacode por crises financeiras que ameaçam o crescimento. A melhor maneira de resistir à crise dos Estados Unidos e da Europa é investirmos na integração sul-americana”, disse o presidente peruano durante a abertura do Encontro Empresarial de Investimento, Comércio, Turismo e Cultura do Peru, na Fiesp.

Os Bancos Centrais europeus e norte-americano têm injetado bilhões de dólares para tranqüilizar a economia mundial. Somente o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do banco central dos EUA socorreu a seguradora AIG com US$ 85 bilhões.

Aproximação bilateral
O Encontro Empresarial Brasil-Peru, é realizado pela Fiesp, em parceria com a embaixada do Peru no Brasil. Entre hoje e amanhã (19), serão 900 encontros em quatro rodadas de negócios, cujo objetivo é ampliar a pauta comercial entre os dois países.

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, classificou o encontro como um “divisor de águas” no relacionamento entre brasileiros e peruanos.

“Daqui para frente, tenho total confiança de que aquilo que foi pregado pelo presidente Alan García, no sentido de avolumar os investimentos do Brasil no Peru, aumentar o fluxo de comércio e de ficarmos mais integrados e próximos, virá numa realidade breve”.

Nova geografia
O estadista peruano sinalizou a necessidade de “reconstruir os instrumentos da integração continental”, como o Pacto Andino e o Mercosul. A reforma, segundo García, é importante para compreender o que ele chamou de “economia do século 21”.

“A capacidade de movimentação das economias exige uma análise desses instrumentos. Não devemos sacrificar a integração do continente em respeito às instituições do passado”, declarou.

García destacou ainda a importância de o Brasil e o Peru destravarem as ferramentas de troca comercial para ampliarem a pauta de importações e exportações.

O volume negociado, no entanto, ainda é muito baixo. Em 2007, a balança comercial entre os dois países movimentou cerca de US$ 2,6 bilhões. O Brasil foi responsável por apenas 1,03% das vendas externas do Peru. Já os investimentos brasileiros movimentaram US$ 235 milhões no país vizinho, em 2006.

Para Skaf, o fracasso da Rodada Doha – que discutia regras para o mercado internacional – coloca o Peru como país geograficamente estratégico para o Brasil.

“Temos que falar em pós-Doha, em alianças bilaterais. As empresas brasileiras têm oportunidades grandes de investir no Peru, como nos setores de siderurgia, cimentos e fertilizantes. Elas podem ampliar de forma significativa os seus investimentos em nosso vizinho, que ficará ainda mais perto com o corredor interoceânico”, avaliou Skaf.

 
Presidente Lula estará na Fiesp
Hoje à tarde, o Presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará na Fiesp/Ciesp, acompanhado de ministros de Estado. Ele se reunirá com Alan García e Paulo Skaf. Às 18h, os três presidentes inaugurarão, na Galeria do Sesi, a exposição cultural Paracas: Tesouros Inéditos do Peru Antigo.
 
Mariana Ribeiro e Nivaldo Souza
Agência Ciesp de Notícias
Foto: Vitor Salgado
18/9/2008