Política de redução do Copom está fora da realidade, diz Paulo Skaf - CIESP

Política de redução do Copom está fora da realidade, diz Paulo Skaf

Nota Oficial

“Apesar de finalmente chegar a um dígito, o juro básico de 9,25% ao ano ainda nos mantém com taxa real superior a 5%, a mais elevada do mundo. Precisamos ter consciência de que o Brasil ainda não venceu a crise internacional. Portanto, é decisivo diminuir o custo do dinheiro para os setores produtivos e o mercado consumidor, estimulando a economia”, salientou o presidente do Centro e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp/Fiesp), Paulo Skaf, ao comentar a redução da Selic emum ponto percentual, anunciada pelo Copom nesta quarta-feira (10/6).

Skaf ponderou que a política de redução da Selic pelo Copom tem sido muito lenta e continua aquém da realidade. “Nada explica juros básicos superiores a 7% ao ano, o que já equivaleria a três pontos percentuais acima da inflação.”

O presidente da Fiesp ressaltou, também, que a expectativa de inflação está abaixo da meta, tanto para 2009 quanto 2010. “Ademais, entre janeiro e abril deste ano, a produção industrial foi 15% menor em relação ao mesmo período de 2008.”

O Chile, por exemplo, com meta de inflação de 3% para 2009 reduziu os juros básicos de 6%, em janeiro de 2008, para 1,25%, em maio deste ano. Até a Turquia, que sempre ‘compete’ com o Brasil pelo título mundial do juro alto, está trabalhando com 3% reais.

Skaf afirmou ser necessário manter o otimismo na capacidade de recuperação da economia brasileira, mas com muito empenho das empresas e trabalhadores para vencer a adversidade. “Nesse sentido, contudo, a redução mais acentuada dos juros é fator decisivo.”

Agência Ciesp de Notícias