PIB brasileiro cresce 5,4% em 2007 - CIESP

PIB brasileiro cresce 5,4% em 2007

 

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 5,4% em 2007. O valor atingiu R$ 2,6 trilhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que anunciou o resultado na manhã de hoje, dia 12 de março.

O resultado é o maior desde 2004, quando o PIB, que é a soma das riquezas produzidas no país, havia crescido 5,7%. A taxa confirma a expectativa do ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que o crescimento da economia ficaria acima de 5%.  

Do terceiro para o quarto trimestre do ano passado, o PIB cresceu 1,6%. Segundo o IBGE, em 2007 a agropecuária (5,3%) obteve o melhor desempenho, seguida pela indústria (4,9%) e serviços (4,7%).
O crescimento da agropecuária deveu-se principalmente à lavoura, com destaque positivo para trigo (62,3%), algodão herbáceo (33,5%), milho em grão (20,9%), cana (13,2%) e soja (11,1%). Os produtos em queda foram café em grão (-16,7%), arroz em casca (-3,7%) e feijão (-4,4%).
 
Veja nota oficial Fiesp/Ciesp
 
 
Entenda o que é o PIB e como é feito seu cálculo
O PIB (Produto Interno Bruto) é um dos principais indicadores de uma economia. Ele revela o valor de toda a riqueza gerada no país.
O cálculo do PIB, no entanto, não é tão simples. Imagine que o IBGE queira calcular a riqueza gerada por um artesão. Ele cobra, por uma escultura, de madeira, R$ 30. No entanto, não é esta a contribuição dele para o PIB.
Para fazer a escultura, ele usou madeira e tinta. Não é o artesão, no entanto, que produz esses produtos –ele teve que adquiri-los da indústria. O preço de R$ 30 traz embutido os custos para adquirir as matérias-primas para seu trabalho.
Assim, se a madeira e a tinta custaram R$ 20, a contribuição do artesão para o PIB foi de R$ 10, não de R$ 30. Os R$ 10 foram a riqueza gerada por ele ao transformar um pedaço de madeira e um pouco de tinta em uma escultura.
O IBGE precisa fazer esses cálculos para toda a cadeia produtiva brasileira. Ou seja, ele precisa excluir da produção total de cada setor as matérias-primas que ele adquiriu de outros setores.
Depois de fazer esses cálculos, o instituto soma a riqueza gerada por cada setor, chegando à contribuição de cada um para a geração de riqueza e, portanto, para o crescimento econômico.
O PIB é formado pelas somas das riquezas geradas pela indústria, agropecuária e setor de serviços, mas também pode ser analisado a partir do consumo, ou seja, pelo ponto de vista de quem se apropriou do que foi produzido. Nesse caso, ele é dividido pelo consumo das famílias, pelo consumo do governo, pelos investimentos feitos pelo governo e empresas privadas e pelas exportações. (Fonte: Folha Online)

 

Agência Ciesp de Notícias

12/03/2008