Mudanças climáticas estão entre os temas do Encontro Internacional Ciesp/Fiesp - CIESP

Mudanças climáticas estão entre os temas do Encontro Internacional Ciesp/Fiesp




Os assuntos que serão discutidos durante o 10º Encontro Internacional de Energia, nos dias 5 e 6 de outubro, no Hotel Unique, em São Paulo, passarão por questões que impactam em mudanças climáticas. Na 15ª Conferência das Partes da Convenção do Clima (COP-15), que será realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em dezembro, na Dinamarca, a produção e geração de energia estarão em pauta.

No intuito de antecipar o debate, o Centro e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp e Fiesp) programaram para o Encontro de Energia um painel que discutirá a necessidade de mudar a compreensão do mundo e do acordo firmado pelo Protocolo de Kyoto sobre biocombustíveis.

“Queremos enfatizar o papel fundamental do etanol brasileiro como mitigador de mudanças climáticas”, explica o diretor-titular do Departamento de Infraestrutura-Energia (Deinfra-Energia) da Fiesp, Carlos Cavalcanti.

Na discussão, o setor poderá conhecer projetos de energias renováveis que geram Mecanismos de Desenvolvimentos Limpos (MDL) e aprender a capitalizar recursos com este instrumento.

Para Cavalcanti, o Brasil leva vantagem na discussão por ter uma matriz energética considerada limpa, com cerca de 46% de fontes renováveis, enquanto a média mundial é de 12%, e nos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)é de 6%. “O Brasil não precisará fazer grandes alterações em sua matriz energética, mas tem que frear imediatamente a destruição da floresta amazônica.”

No encontro, especialistas apresentarão novas tecnologias para produção e utilização de biocombustíveis. “Se a tecnologia brasileira de produtos e serviços conseguir enxergar este potencial, terá pela frente grandes oportunidades de negócios”, acrescentou o diretor do Deinfra-Energia da Fiesp.

Em 2010, a cana dará origem à produção de diesel em escala comercial e a uma gasolina feita a partir de enzima modificada geneticamente. Outra novidade que está sendo viabilizada é a construção de motores e turbinas movidas a etanol, para movimentação de usinas termelétricas.

A presença da energia eólica na matriz brasileiraéum dos assuntos do evento. Está marcado para o dia 25 de novembro deste ano o primeiro leilão brasileiro para compra desta tecnologia.

“A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) tem 441 projetos do setor privado pré-credenciados, com capacidade instalada para geração de 14 mil megawatts, um número impressionante”, revela Cavalcanti. O desafio do setor é criar políticas públicas para colocar o preço na média de outras fontes de energia.

Água
O Brasil tem 70% do seu potencial hidrelétrico ainda a ser explorado. O painel “Planejamento e Política Energética” pretende mostrar os avanços regulatórios, o potencial da bacia amazônica, as políticas e diretrizes para o desenvolvimento da geração térmica a combustíveis fósseis, os impactos ambientais e tarifários decorrentes da redução dos reservatórios nas novas hidrelétricas, os riscos e oportunidades no mercado de livre contratação e a participação dos produtores independentes na expansão da oferta de energia.

O encontro tambémabordará a estrutura tarifária da energia e a competitividade industrial, os modelos dos leilões e como eles impactam no preço da energia elétrica, e os aspectos normativos e tarifários na renovação das concessões.

“O primeiro grande sócio brasileiro no custo da energia é o Governo, que mantém uma carga tributária superior a 50%. Isso está colocando a indústria de base num caminho sem volta”, critica Cavalcanti.

Pré-sal
O novo marco regulatório que definirá a exploração do pré-sal e a participação da indústria nacional, especialmente a de São Paulo, terá lugar garantido nos debates.

Da mesma maneira, estarão inseridas no encontro discussões sobre o desenvolvimento da energia nuclear no Brasil, bem como as mudanças constitucionais e de infraestrutura para participação do setor privado na geração de energia elétrica a partir de fonte termonuclear.

A eficiência energética sob a perspectiva da geração de crédito de carbono encerra as discussões do evento.

Serviço:
10º Encontro Internacional de Energia
Data: 5 e 6 de outubro
Local: Hotel Unique (Av. Brigadeiro Luís Antonio, 4.700, São Paulo, SP).
Mais informações: tels. (11) 3549-3556 / 3557 – site: www.ciesp.com.br/energia/
E-mail: encontrodeenergia@ciesp.org.br

Lucas Alves, Agência Indusnet Fiesp