Missão italiana trará 400 empresários à Fiesp/Ciesp - CIESP

Missão italiana trará 400 empresários à Fiesp/Ciesp

Cerca de mil pessoas, entre empresários, autoridades governamentais, instituições bancárias e entidades de classe italianas e brasileiras se reunirão na sede da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), nos dias 9 e 10 de novembro, para a maior missão multissetorial econômica estrangeira à América Latina.

A iniciativa visa reforçar as relações econômicas entre os dois países e aprofundar as possibilidades de cooperação industrial e as oportunidades de investimentos recíprocos.

A missão será lançada na Fiesp/Ciesp, no dia 9, a partir das 14h, com uma reunião dedicada à apresentação das oportunidades e estratégias de investimentos no Brasil. Na sequência, cinco seminários técnicos serão realizados em paralelo, nas áreas de:

 Mecânica, equipamentos e componentes mecânicos;
 Infraestrutura e construção civil;
 Energia e ambiente;
 Bens de consumo e agroindústria;
 Mecanismos financeiros.

Já no segundo dia (10), a Fiesp e o Ciesp, o Instituto Italiano para o Comércio Exterior (ICE), os Ministérios Italianos do Desenvolvimento Econômico e das Relações Exteriores, a Confederação Italiana das Indústrias (Cofindustria) e a Associação de Bancos Italianos (ABI), lançarão o II Fórum Econômico Brasil-Itália. O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, participará da abertura do Fórum, às 9h.

Na ocasião, o ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Claudio Scajola, vem acompanhado da presidente da Cofindustria, Emma Marcegaglia, e do presidente da Associação Italiana de Bancos (ABI), Corrado Faissola. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, também participará do encontro.

O II Fórum vem revitalizar as relações entre os dois países, reforçando as oportunidades econômico-comerciais, culturais e de cooperação ao desenvolvimento. Os biocombustíveis e as oportunidades que o Brasil oferece à Itália no setor de infraestrutura são os temas que poderão ser aprofundados na primeira reunião do encontro.

Gigantes italianas

O Fórum terá a presença de grandes empresas italianas como:

Avio – Uma das maiores empresas mundiais no campo da propulsão aeroespacial.
Impregilo – Maior empresa de construção civil da Itália e uma das maiores do mundo. Concentra especialidades em diversas áreas no campo da construção de grandes obras e na condução de complexas operações de project financing e de BOT (build, operate and transfer).
Energia – S.T.E. Energy – Com mais de 200 centrais de energia realizadas nos últimos anos, tanto na Itália, quanto no exterior, a STE Energy projeta, constrói e administra centrais de produção de energia, sobretudo hidroelétricas.
Consórcios – Federexport- Federação Italiana dos Consórcios de Exportação – Principal federação italiana que representa os interesses dos consórcios italianos de exportação. Seus associados somam 120 consórcios especializados em diversos segmentos, num total de 4.500 empresas. Possui escritórios regionais na Lombardia,Vêneto, Piemonte, Toscana, Campania, Puglia, Calábria e Sicília.

A Rodada de Negócios acontece no dia 10 de novembro, no período da tarde, no Hotel Tivoli, em São Paulo. As empresas brasileiras interessadas em conhecer e desenvolver novas parcerias de negócios com a Itália poderão se credenciar através do site www.ice-sanpaolo.com.br/missao2009.

Comércio Brasil-Itália
Desde 2003, a Itália teve queda em participação como destino das exportações brasileiras, saindo de 3% para 2,4% em 2008. O mesmo ocorreu com o Brasil como destino das exportações italianas, saindo de 3,6% em 2003 para 2,7% no ano passado.

A partir de 2005, ano da primeira missão à Itália, o intercâmbio comercial entre os dois países cresceu 43,9%, saindo de US$ 758 milhões para US$ 1,1 bilhão. Nos últimos 12 meses, o Brasil exportou cerca de US$ 3,6 bilhões pra Itália, que se destaca principalmente como compradora de minérios (13,7%), café, chá e especiarias (11,8%) e sementes e frutos oleaginosos, como a soja (11,5%).

Do lado das compras, o Brasil importou um total de US$ 3,9 bilhões nos últimos 12 meses, destacando-se como principais setores máquinas e aparelhos mecânicos (36,4%), máquinas e aparelhos elétricos (10,5%) e veículos ( 8,6%).

Itália em números
Em seis anos, a Itália teve alta de 82,8% em sua corrente de comércio, saindo de US$ 597 bilhões em 2003 para cerca de US$ 1,1 trilhão em 2008. Neste período, com exceção de 2003, sempre apresentou saldo negativo na balança, fechando o ano passado com déficit de US$ 16,9 bilhões.

Alemanha e França se destacam como os dois principais parceiros comerciais da Itália, que, juntos, receberam 24% das exportações e participaram com o mesmo percentual nas importações em 2008.

No ano passado, a Itália exportou um total de US$ 537 bilhões, com a pauta dividida principalmente em máquinas e aparelhos mecânicos (21,3%), veículos (8,2%) e máquinas e aparelhos elétricos (6,3%). Do lado das compras, importou um total de US$ 554 bilhões, com a pauta dividida em combustíveis minerais (14,2%), veículos (9,7%) e máquinas e aparelhos mecânicos (9,4%).

Fábio Rocha, Agência Indusnet Fiesp