Indústria paulista cria 5 mil vagas em junho - CIESP

Indústria paulista cria 5 mil vagas em junho

A indústria paulista de transformação fechou o mês de junho com geração de 5 mil postos de trabalho, ou variação de 0,21% ante maio, segundo pesquisa divulgada hoje (15) pelo Centro e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp e Fiesp). Em termos ajustados, houve aumento de 0,19%. “Não é um sinal ruim, pois não houve diminuição no número de empregos, mas a geração de vagas na indústria não apresenta mais o dinamismo que vinha apresentando em 2007, com taxas expressivas a cada mês”, comparou Paulo Francini, diretor titular do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) das entidades.

Segundo ele, a força na geração de empregos se aquietou em relação ao que vinha ocorrendo, e a acomodação está disseminada pelos vários setores da indústria – associada a alguns fatores como diminuição do ritmo de crescimento da renda, afetada pela taxa de inflação, e concessão de crédito. “A acomodação na taxa de emprego é um reflexo da própria atividade industrial, que não apresenta o mesmo grau de aceleração. A demanda, que é o combustível básico da atividade, já mostra sinais de cansaço”, ressaltou Francini.

 
Apesar de recuar nas contratações no último mês (-0,01%), por uma tendência normal de estabilidade nessa época do ano, o setor sucroalcooleiro foi responsável pela geração de 104 mil vagas de janeiro a junho, o que corresponde a 74% do total de 141 mil postos de trabalho abertos pela indústria em 2008. O crescimento do emprego industrial em termos percentuais é de 6,48% no acumulado do ano, e de 4,72% nos últimos 12 meses.
 
Indicadores setoriais
Das 21 atividades industriais que compõem a amostra da pesquisa, 14 tiveram bom desempenho, quatro apresentaram queda e três registraram estabilidade nas contratações em junho. O principal destaque positivo foi o segmento de Equipamentos de Informática (10,75%), indicando bom nível de atividade como reflexo da desoneração do setor e da mudança do regime tributário, que estimulou a formalização das empresas. Na seqüência, Móveis e Indústrias Diversas (2,65%) e Metalurgia Básica (1,82%) também foram destaques.
 
As variações negativas mais expressivas vieram dos setores de Couro, Artigos de Viagem e Calçados (-4,88%), Coque, Refino de Petróleo e Álcool (-2,84%) e Madeira (-0,74%).
 

Regiões
Das 36 Diretorias Regionais do Ciesp pesquisadas, 18 registraram bom desempenho no mês, 16 tiveram queda e duas ficaram estáveis. Matão liderou as contratações pelo segundo mês consecutivo, com crescimento de 3,04% – influenciado por Produtos Alimentares (7,28%), com destaque para a produção de suco de laranja, e Metalúrgica (2,45%), em decorrência dos implementos agrícolas.

Sertãozinho foi a segunda região que mais abriu postos em junho, com alta de 1,31%, puxada pelos setores de Produtos Alimentares (1,53%) e Máquinas e Equipamentos (1,32%), ligados à produção de açúcar e álcool. Em terceiro lugar, Sorocaba registrou expansão de 1,19% na geração de empregos na indústria, com destaque para Material Elétrico, Eletrônico e de Comunicação (9,30%), principalmente pelo setor de informática, e Produtos Alimentares (3,65%).

O nível de emprego industrial teve queda mais expressiva nas regiões de Jaú (-2,14%), puxada por um recuo sazonal em Calçados (-4,48%), em função da entressafra de coleção, e Produtos Alimentares (-2,65%); Santos, com queda de 2% influenciada pelos setores de Máquinas e Equipamentos (-7,39%) e Edição, Impressão e Reprodução de Gravações (-7,25%); e Franca (-1,22%), devido à queda em Couro e Artigos de Viagem (-1,97%) e Calçados (-1,58%), também sazonal.

Veja a pesquisa na íntegra

Agência Ciesp de Notícias
Mariana Ribeiro
15/07/2008