Indústria de SP cresce 3,4% e dá impulso à do País - CIESP

Indústria de SP cresce 3,4% e dá impulso à do País

 

Das 14 regiões pesquisadas pelo IBGE, 13 tiveram expansão, na comparação com janeiro de 2007
 
A produção da indústria paulista iniciou o ano com resultados bem acima da média nacional e voltou ao nível recorde em janeiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Houve alta de 3,4% em janeiro ante dezembro, o melhor resultado desde outubro de 2003, e de 15,2% ante janeiro de 2007, a maior nessa base de comparação desde setembro de 2004. No País, das 14 regiões pesquisadas, 13 mostraram resultado positivo ante igual mês de 2007.

Isabella Nunes, da coordenação de indústria do IBGE, explicou que a indústria paulista, que responde por 40% da produção nacional, representou o maior impacto de expansão para o País tanto ante dezembro quanto na comparação com janeiro do ano passado (respectivamente 1,8 e 8,5% na média nacional, segundo os dados apresentados pelo IBGE na semana passada).

Com o resultado de janeiro, diz ela, o Estado se recuperou das perdas de novembro e dezembro e voltou ao nível recorde de outubro. A maior influência de expansão em São Paulo em janeiro, ante igual mês de 2007, foi dos veículos, com 30%. Além de veículos, foram destaque na indústria local produtos químicos (22,6%) e máquinas e equipamentos (10,7%).

Em relatório, economistas do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) destacam que o “boom paulista” tem sido um dos fatores determinantes do maior ritmo da indústria brasileira entre dezembro de 2007 (crescimento de 6,3% ante igual mês do ano anterior) e janeiro deste ano. IMPULSO

Isabella observou que os bons resultados da indústria nacional em janeiro foram confirmados nos dados regionais. Os Estados que cresceram acima da média nacional ante igual mês de 2007, como Paraná (19,7%), Amazonas (17,9%), São Paulo e Minas Gerais (10,2%), tiveram, como os demais, forte influência de bens de capital e de veículos, da recuperação do setor agrícola e destaque para commodities, como minério de ferro e açúcar. “A demanda interna favoreceu todas as regiões, mas os destaques foram esses locais, com forte presença desses segmentos”, disse Isabella.

Os economistas do Iedi também avaliam que “a liderança do crescimento em janeiro da indústria brasileira nos setores automobilístico, de máquinas e equipamentos e alimentos foi fundamental para moldar o desempenho industrial do ponto de vista regional”

Todos os locais cresceram ante igual mês de 2007, exceto o Ceará, que caiu 2,3%. Para Isabella, a perda cearense decorre das férias coletivas no setor têxtil, que tem forte peso na indústria local e cuja produção recuou 37,6% nessa base de comparação.

Por outro lado, o Paraná, que teve o maior aumento anual entre as regiões e representou o segundo maior impacto para o crescimento nacional, já que tem menor peso que São Paulo na indústria do País, teve o bom desempenho puxado especialmente por veículos (54,3%), especialmente em razão do vigor na produção de caminhões.

(Jacqueline Farid)

 

Fonte: O Estado de S. Paulo

 

Agência Ciesp de Notícias
11/03/2008