Fiesp lamenta resistência dos EUA à decisão da OMC e apoia retaliação no caso do algodão - CIESP

Fiesp lamenta resistência dos EUA à decisão da OMC e apoia retaliação no caso do algodão

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) do governo federal divulgou, nesta segunda-feira (8), lista de 102 produtos provenientes dos Estados Unidos que sofrerão aumento na alíquota de importação, em decorrência da retaliação no contencioso dos subsídios ao algodão.

Caso uma solução não seja obtida nos próximos 30 dias, o Brasil aplicará, pela primeira vez, medida retaliatória contra as importações de um terceiro país, conforme autorizado pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) acompanhou o caso com atenção e lamenta que o governo dos Estados Unidos não tenha cumprido, até o momento, as decisões da OMC.

A retaliação é o único instrumento legítimo e disponível legalmente para contrapor práticas desleais de comércio, que prejudicam os produtores de algodão do Brasil e de outros países.

A Fiesp entende que as prioridades do caso são:


  • (i)A implementação integral das decisões por parte dos Estados Unidos;


  • (ii)A defesa dos interesses do setor cotonicultor brasileiro.

    No entanto, os programas de subsídios domésticos (pagamentos contracíclicos e empréstimos de mercado) dependem de alteração da Lei Agrícola norte-americana, que somente ocorrerá em 2012.

    Neste intervalo, aFederação sugere, como solução adequada para se evitar a retaliação, o oferecimento de compensação temporária significativa ao setor cotonicultor e a outros setores brasileiros condicionados ao compromisso de implementação integral.

    A Fiesp prestará apoio aos setores industriais afetados pela retaliação e atuará junto aos governos do Brasil e dos Estados Unidos com o objetivo de obter uma solução negociada.

    Segundo o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, “está nas mãos do governo americano realizar um gesto que demonstre compromisso com as regras internacionais de comércio”.

    Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp)