Feira no ABCD atinge meta de 2 mil visitantes - CIESP

Feira no ABCD atinge meta de 2 mil visitantes

Treze diretorias do Ciesp, localizadas nas 8ª e 10ª Macrorregiões, realizaram nesta quarta-feira (26) a 4ª Feira de Negócios. O encontro aconteceu no Pavilhão Vera Cruz, em São Bernardo do Campo. O evento superou as expectativas ao reunir 238 empresas e consolidar-se como novo estilo de fazer negócios, por meio de exposição de produtos industriais fabricados em cidades vizinhas – modelo que foi estimulado pela crise econômica que abalou o mundo no final de 2008 e durante o ano de 2009.








Kenia Hernandes


Cervone: rodadas se consolidam como novo estilo de fazer negócios

“A crise mundial nos mostrou o que tínhamos de fazer, ou seja, transformar um limão em uma limonada”, sublinhou o 1º vice-presidente do Ciesp, Rafael Cervone Netto, na abertura da Feira. Ele considerou a disposição do Ciesp em multiplicar o intercâmbio entre regiões vizinhas como “uma maneira simples, objetiva e criativa de fazer negócios, e que dá resultados”.

A novidade desta edição foi a realização de workshop, sem custos, aos expositores e aos visitantes. Além das empresas que fazem parte da 8ª macrorregião – diretorias regionais de Cotia, Cubatão, Diadema, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Vale do Ribeira -, o evento contou também com empresas pertencentes a macrorregião 10 do Ciesp, formada pelas distritais Leste, Norte, Oeste, Sul e Central da Capital.

Ação da Indústria
O 1º vice-presidente do Ciesp elogiou a força e o dinamismo do evento e reiterou o compromisso das entidades que representam a indústria paulista na tarefa de estimular o desenvolvimento em todas as regiões do Estado de São Paulo. Segundo Rafael Cervone, Ciesp, Fiesp, Sesi e Senai são instituições reconhecidas pela capacidade de transformação, seja no campo do desenvolvimento produtivo de maneira sustentável, ou no campo da educação e da responsabilidade social – só em São Bernardo do Campo, o Sesi e o Senai mantêm 38 mil alunos; em todo o Estado são responsáveis por 1,5 milhão de matrículas.

“Nosso presidente Paulo Skaf tem desenvolvido ações importantes para melhorar a competitividade da indústria e assegurado ao Ciesp o papel de elemento de transformação regional”, destacou.

Público
A presença de um número significativo de empresas e o movimento de pessoas na abertura da 4ª Feira de Negócios entusiasmaram os organizadores do evento, que, ainda no início, caminhava para atingir 2 mil visitantes.

O crescimento da Feira nas últimas edições foi destacado pelo coordenador da 8ª Macrorregião e diretor da Diretoria Regional do Ciesp em Santo André, Shotoku Yamamoto. Em sua opinião, o evento não se apresenta apenas como oportunidade de negócios, mas para que as empresas participantes saibam o que se produz em cada cidade representada.

O diretor comentou as boas perspectivas para a indústria em decorrência da expansão econômica do País, mas recomendou pressão dos industriais nas exigências das reformas que oneram a produção, como a tributária e a trabalhista. “Embora tenhamos registrado forte crescimento, devemos exercer pressão neste ano eleitoral para que a indústria melhore sua eficiência com ganhos de competitividade”, afirmou.

Prioridade
Na abertura do evento, os secretários de desenvolvimento econômico de Diadema e São Bernardo do Campo anunciaram projetos para estimular a atividade produtiva na região. De acordo com o secretário Luis Paulo Bresciani, a prefeitura de Diadema conta com programas e ações para setores específicos. Ele revelou que o município quer aproveitar as oportunidades que serão geradas pela expansão da indústria ferroviária.

Já o secretário da pasta em São Bernardo, Jefferson José da Conceição, considerou o momento como ideal para investimentos, compras e negócios. Ele anunciou a construção de um centro público, mais apoio à inovação e aproximação entre setor produtivo e universidades.

Odair Souza, Agência Ciesp de Notícias