Expansão da indústria continuará este ano - CIESP

Expansão da indústria continuará este ano

 
A produção industrial deve registrar forte expansão neste ano, de até 5%, mas inferior ao crescimento de cerca de 6% de 2007. Para 2008, os analistas de mercado elevaram a estimativa de expansão de 4,5% para 4,6%, segundo Relatório de Mercado divulgado ontem pelo Banco Central.
 
O Banco Fibra espera um crescimento entre 4,5% e 5% neste ano. Na avaliação da economista-chefe da instituição, Maristella Ansanelli, o aumento no Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) de 1,5% para 3,38% para pessoa física, anunciado semana passada pelo governo para compensar o fim da CPMF, não deve ter impacto nas projeções para o setor. "Estamos tirando a CPMF e colocando outro. Teremos mais um ano forte de crédito e atividade", diz.
 
Na indústria, o destaque continuará sendo o crescimento do setor de bens de capital. "Ele está puxando a indústria e representa investimento. No acumulado do ano até o novembro, o setor cresceu 19,5%", afirma Maristella.
 
A LCA Consultores também projeta um crescimento próximo de 5% para a produção industrial neste ano, influenciado pela desaceleração do setor de veículos. Segundo o economista da consultoria, Everton Santos, cada 1% de variação na produção de automotores tem um impacto de 0,15 ponto percentual no indicador da indústria. A previsão para este ano é de que o setor avance 10% e 11%, ante variação de 15% e 16% no ano passado, o que representaria uma redução de 0,75 p.p. na produção industrial como um todo. "Foi o setor que mais surpreendeu em 2007, pela melhora das condições de crédito com juros menores e prazos maiores. E isso não deve melhorar neste ano."
 
A produção industrial caiu 1,8% em novembro de 2007, frente a outubro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Banco Fibra esperava recuo de 1%, enquanto a LCA projetava queda de 1,5%. Contribuíram para redução o menor número de dias úteis em novembro e a forte expansão em outubro, revista dos 2,8% divulgados anteriormente para 3,3%.
 
Na comparação com novembro de 2006, o crescimento foi de 6,7%. Tanto o acumulado no ano (6%) como o acumulado nos últimos 12 meses (5,5%) foram superiores aos registrados em outubro (5,9% e 5,3% respectivamente). "O fato relevante é que praticamente está consolidada a evolução da indústria em 2007 na faixa de 6%", diz o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). Trata-se do terceiro melhor resultado dos últimos treze anos, inferior apenas aos anos de 2004 (8,3%) e de 2000 (6,6%).
 
O Iedi destaca, no entanto, como fatores negativos a queda de 1,9% do setor de alimentos em novembro com relação a outubro e setores mais prejudicados pela valorização cambial como têxtil, vestuário e calçados, entre outros.
(Gazeta Mercantil/Caderno A – Pág. 4)(Ana Carolina Saito)

 

Fonte: Gazeta Mercantil

 

Agência Ciesp de Notícias
08/01/2008