Empresários e sindicalistas de Santo André avaliam efeitos da crise - CIESP

Empresários e sindicalistas de Santo André avaliam efeitos da crise

Os desdobramentos da crise financeira mundial na região de Santo André, importante pólo metalúrgico da Grande São Paulo, será debatido por empresários e sindicalistas na próxima terça-feira (17), durante a Reunião Plenária da Diretoria Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

 


O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e Mauá, Cícero Firmino da Silva, e lideranças empresariais vão analisar os reflexos da crise nas empresas e para os trabalhadores da região.


 


A redução da jornada de trabalho e, proporcionalmente, dos salários constará na pauta de discussões, com foco no entendimento para evitar corte de vagas.


 


Conforme levantamento mensal realizado pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicas (Depecon) do Ciesp e da Fiesp, o setor produtivo de Santo André registrou redução de 1.496 postos de trabalho em dezembro. A queda foi de 2,78% em relação ao mês anterior, quando 1.808 trabalhadores foram demitidos – menos 3,25% no total de vagas na indústria.


 


Berço industrial


Considerado um dos berços da industrialização paulista, Santo André exibe números que batem muitas capitais brasileiras. Apenas em torno da jurisdição da Regional do Ciesp, estão acomodadas cerca de 1.800 indústrias e um contingente populacional de 1,2 milhão de pessoas, nada menos do que 49% do Grande ABC. Só na cidade de Santo André vivem cerca de 680 mil habitantes.


 


Num município cujo PIB somou R$ 11,6 bilhões em 2006, o setor produtivo contribuiu com R$ 3,6 bilhões, com predominância dos ramos alimentício, móveis, metalúrgico, mecânica, química, plástico, vestuário/calçados, eletroeletrônico, borracha e construção civil.


 


Nivaldo Souza, Agência Ciesp de Notícias