Empresa associada economiza R$ 72 mil por ano com prática de P+L - CIESP

Empresa associada economiza R$ 72 mil por ano com prática de P+L

Os últimos anos dessa primeira década do século 21 foram definitivos para uma mudança de posicionamento na Realen Folheados.A empresa prestadora de serviços em galvanoplastia de peças para ornamentação pessoal como anéis, brincos, correntes e pingentes teve seu case apresentado na terça-feira (14), durante a “Conferência de Incentivo as Práticas de Produção Mais Limpa” organizado pelo Ciesp/Fiesp.

O gestor de Qualidade da Realen, Daniel de Oliveira Ferreira, conta que com a implementação do Projeto P+L há cerca de dez anos, promoveu uma “Melhoria Contínua” em vários setores da empresa e conseguiu uma economia de aproximadamente R$72 mil por ano na redução de custos operacionais (água, geração de lodo e descartes etc.).

A quantia economizada tem servido para a ampliação e reestruturação do prédio da empresa e aquisição de novas tecnologias. “Verificamos como um fator indireto a mudança positiva na visão da comunidade e das organizações fiscalizadoras quanto ao segmento, uma vez que era somente visto como degradador do meio ambiente devido aos resíduos gerados pelo processo”, observa Ferreira.

De acordo com ele, a Realen investiu cerca de R$140 mil no Projeto P+L. Como resultado, conseguiu redução de:

· Captação de água (economia de R$ 2.340/mês e R$ 28.080/ano);


· Geração de lodo e seu descarte (de 408 kg/ano baixou para 42 kg/ano e gerou economia para descarte de R$ 600);


· Redução da quantidade de produtos químicos utilizados no tratamento (R$ 1.920/mês e R$ 23.040/ano);

· Redução de custos com operador do tratamento (antes gastava-se R$1.800 com encargos) e o tratamento era realizado em 30 dias/mês, hoje esse valor baixou drasticamente para R$ 120 (com encargos) e o tratamento é realizado em até dois dias/mês, gerando uma economia de R$20.160/ano).

Daniel conta que a prática adotada pela Realen levou as empresas da região a adotarem o mesmo procedimento, devido ao trabalho de divulgação realizado pela Cetesb por meio da mídia e de cartilhas explicativas. “Sabemos que em nosso segmento foram realizados outros dois projetos de P+L, e que contou primeiramente com cinco empresas do setor e, em um segundo momento, com mais 19 empresas”, pontua.

Os projetos contaram com a participação e apoio do Ciesp, Cetesb, Indústrias do setor, ALJ e Sindijóias”.

Celso Lopes, Agência Ciesp de Notícias