Emprego na indústria paulista mantém ritmo de queda (0,16%) em julho - CIESP

Emprego na indústria paulista mantém ritmo de queda (0,16%) em julho

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, divulgada pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), em coletiva nesta terça-feira (14/08), mostra, no entanto, que o setor sucroalcooleiro eliminou 919 vagas em julho.

No acumulado do ano foram gerados pela indústria paulista 32 mil empregos, com uma variação positiva de 1,23% para o período. Mesmo assim esta é a variação percentual mais baixa com exceção de 2009, ano da crise, quando o indicador registrou queda de 2,06% no acumulado daquele ano.

Na leitura dos 12 meses, o índice apurou o fechamento de 89 mil postos de trabalho, um recuo de 3,28% em relação ao mesmo período imediatamente anterior.

A queda no emprego do setor de açúcar e álcool equivale a uma variação negativa de 0,06%. Já os demais setores, incluindo a indústria de transformação, foram responsáveis pela criação de 1.419 postos de trabalho no mês passado, com variação positiva de 0,09%.

Setores e regiões

Das atividades analisadas no levantamento, 10 apresentaram efeitos negativos, nove fecharam o mês em alta e três ficaram estáveis. Os setores de Confecção de Vestuários e Acessórios, Metalurgia e de Produtos de Minerais Não Metálicos computaram a maior queda com 0,6% em julho.

O segmento de Produtos apurou ganho de 2,2% no mês, enquanto o índice de emprego na indústria de Couros e Fabricação de Artigos de Couro, Viagem e Calçados registrou alta de 1,8%.

A pesquisa mostra ainda que das 36 regiões analisadas, 14 apresentaram quadro negativo, 14 ficaram positivas e oito regiões encerraram o mês estáveis.

Matão foi a cidade que teve a maior alta, com taxa de 1,88% em julho, impulsionada por Produtos Alimentícios (7,62%). A região de Franca registrou ganho de 1,37%, sob influência positiva dos setores de Artefatos de Couro e Calçados (2,94%) e Produtos Diversos (0,34%). E Jaú subiu 1,24%, influenciado por Artefatos de Couro e Calçados (3,81%) e Confecção de Artigos do Vestuário e Acessórios (1,03%).

Entre as cidades com desempenho negativo, destaque para Santa Bárbara d´Oeste que computou a queda mais expressiva do mês com 2,87%, abatida pelas perdas em Máquinas e Equipamentos (-12,17%) e Produtos de Metal, exceto Máquinas e Equipamentos (-4,62%).

O emprego na indústria de Indaiatuba fechou o mês com baixa de 1,16%, pressionado pelo desempenho ruim dos setores de Confecção de Artigos do Vestuário (-5,61%) e Produtos de Metal Exceto Máquinas e Equipamentos, (-0,81%). Cubatão encerrou julho também com queda de 1,16%, com perdas em Celulose, Papel e Produtos de Papel (-37,88) e Metalúrgica (-0,63%).