"É preciso falar o idioma dos serviços", ensina professor do Insead - CIESP

“É preciso falar o idioma dos serviços”, ensina professor do Insead

 

 

Em palestra na Fiesp, James Teboul defendeu integração entre produção e “área de frente” como fator de sobrevivência 

Um dos grandes desafios que se impõem hoje no mundo dos negócios chama-se Inventividade. Produção e Serviços precisam falar o mesmo idioma, na busca de melhores resultados em produtividade. Este foi o recado deixado pelo pesquisador e consultor francês James Teboul, em sua palestra nesta segunda-feira (1º), na Fiesp, em evento promovido pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), órgão do Sistema CNI, e a Central de Serviços (Cser), da Fiesp.

Mestre do Insead, uma das mais conceituadas escolas de negócio no mundo, o professor Teboul alerta as empresas para que se enquadrem aos novos modelos de relacionamento com o cliente, superando o quanto antes o gap entre produção (backstage) e a área de serviços (frontstage).

“O mais importante não está em como fazê-lo, mas sim em entender o quanto isso é necessário para a sobrevivência do negócio”, defendeu o professor Teboul, em palestra para mais de 250 participantes, uma platéia composta, em sua maioria, de estudantes e altos executivos. "A conferência do professor Teboul vale por um curso", comentou Vivian Palhares, aluna de Pós-graduação em Marketing de Serviços na Faculdade Armando Alvares Penteado.

Parceria Fiesp/IEL

Após a palestra, o professor Teboul autografou exemplares do seu livro Serviços em Cena, lançado no Brasil com apoio do próprio Insead e do IEL. Sua vinda à Fiesp sela uma nova relação de parceria entre o IEL e a Central de Serviços e se insere como o mais novo serviço colocado à disposição dos Sindicatos e empresas associadas. 

“O êxito deste evento abre excelentes perspectivas de intercâmbio e novas palestras de alto nível como foi a de hoje”, assinala Paulo Henrique Schoueri, diretor titular da Cser.
 

 
Rubens Toledo, Agência Indusnet Fiesp
02/09/2008