Ciesp reforça atendimento em serviços e prioriza apoio aos negócios - CIESP

Ciesp reforça atendimento em serviços e prioriza apoio aos negócios

O Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) vai reforçar o leque de produtos e serviços voltados ao empresário em 2009. Cursos de capacitação empresarial e novos convênios com instituições parceiras serão prioridades, assim como a presença mais atuante no interior paulista.

“Para 2009, as expectativas são positivas. Para executá-las, o Ciesp reassume seu compromisso de continuar, como faz há 80 anos, à frente do setor produtivo nacional, brigando pelo desenvolvimento de São Paulo e do Brasil”, afirma Paulo Skaf, presidente do Ciesp.


Apoio ao empreendedor

Em 2008, a entidade assinou uma série de convênios que dão suporte à atividade produtiva. Entre eles:

 

– A parceria firmada com a Caixa Econômica Federal: disponibiliza crédito a taxas de juros menores que a do mercado às empresas associadas.

 

– General Motors do Brasil: o acordo dá ao pequeno empreendedor a oportunidade de adquirir automóveis com os mesmos descontos oferecidos a grandes companhias, sem limite mínimo de quantidade. Possibilita aos pequenos investir na formação de frota própria e, assim, agilizar suas necessidades logísticas.

 

– Centro São Paulo Design: oferece soluções em design de produtos, com foco na dinâmica do mercado consumidor, bem como desenvolvimento de projetos, pesquisa de mercado e visitas técnicas.

 

Estímulo à produção

As ações em defesa do setor produtivo em questões jurídicas e de desembaraço aduaneiro, como estímulo à inserção cada vez maior das empresas no mercado externo, serão intensificadas neste ano. Em 2008, exemplo de representatividade junto ao poder público foi a atuação da entidade em resposta à greve dos auditores fiscais da Receita Federal nos postos alfandegários do país, que terminou em maio e teve a duração de quase dois meses.

 

Na ocasião, o Ciesp conseguiu liminar emitida pela 1ª Vara Cível da Seção Judiciária de São Paulo, que garantiu às suas 9 mil empresas associadas o direito de realizar o desembaraço de mercadorias importadas e exportadas no Porto de Santos e nos aeroportos de Cumbica e Viracopos. A medida foi importante para que 443 empresas paulistas minimizassem os impactos da greve em suas atividades.


Agência Ciesp de Notícias