Ciesp manifesta apoio ao projeto de reengenharia da Polícia Civil de SP - CIESP

Ciesp manifesta apoio ao projeto de reengenharia da Polícia Civil de SP

O projeto de reengenharia da Polícia Civil do Estado de São Paulo foi apresentado na quinta-feira (17) às lideranças das Diretorias Regionais, Municipais e Distritais do Ciesp, que participaram da reunião mensal na sede da entidade, na capital.

O estudo, relatado pelo delegado José Gregório Barreto, de São João da Boa Vista, mapeia as principais deficiências na gestão da polícia civil e propõe mudanças na estrutura da polícia.

De acordo com Barreto, o aumento no número de distritos policiais, ocorrido nas últimas décadas, trouxe uma falsa sensação de segurança por parte da sociedade.

“Do ponto de vista da segurança pública, foi um fracasso”, disse, ao mostrar a discrepância na instalação indiscriminada de distritos e delegacias “que não deram enfrentamento adequado à violência”.

O delegado defende o agrupamento das unidades policiais, recapacitação profissional, construção de prédios que abriguem uma polícia de inteligência, novas formas de interlocução e aproximação com instituições de controle social, entre outras sugestões apontadas no estudo.

“A criação de estruturas não é a saída para o enfrentamento da criminalidade, muito menos da organizada. É preciso adotar critérios técnicos e científicos”, argumentou.

Apoio
O presidente do Ciesp e da Fiesp, Paulo Skaf, reforçou o apoio ao projeto, que havia sido lançado na sede das entidades em 2010. “Esse tipo de transformação requer disposição e coragem. As estruturas governamentais no país, na maioria, são pesadas e ineficientes”, comentou.

Para o dirigente, São Paulo não pode abrir mão de suas polícias. Segundo ele, a polícia civil é de alta tradição, conta com 35 mil policiais e responde pela maior parte do efetivo brasileiro. “Mas é preciso nova visão e nova filosofia”, ponderou . “Por isso, nosso apoio será constante”, reiterou Skaf.

Plano piloto
A reengenharia da Polícia Civil de São Paulo tem o objetivo de otimizar sua estrutura e centralizar as operações. O projeto-piloto está sendo implantado inicialmente em municípios das seccionais de Americana, Casa Branca, Limeira, São João da Boa Vista e Rio Claro, que compõem o Deinter-9 (Delegacia de Interior, região 9, de Piracicaba).

Na opinião do diretor do Departamento de Segurança (Deseg) da Fiesp, Ricardo Lerner, será fundamental o apoio político dos prefeitos na implantação do projeto, para que tenha sucesso. “É uma proposta que pode revolucionar a forma de gestão da Polícia e servir como modelo ao Brasil”, reforçou Lerner.

Odair Souza, Agência Ciesp de Notícias