Ciesp e Fiesp alertam para arrecadação de impostos superior ao crescimento do setor privado - CIESP

Ciesp e Fiesp alertam para arrecadação de impostos superior ao crescimento do setor privado

 

Nota Oficial

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou hoje o resultado das Contas Nacionais de 2007. O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 5,4% no ano passado, tornando-se o segundo melhor desempenho da década (perdendo apenas para 2004). Embora os números agregados sejam bons, há setores com desempenho bem abaixo da média, justamente os de maior potencial de geração de emprego.

Destacamos o forte crescimento dos investimentos, de 13,4%. A taxa que foi de 16,5% do PIB em 2006, passou para 17,6% do PIB em 2007. Isso indica que a sociedade vem confiando no futuro e, assim, passa a investir mais para atender à demanda crescente.

Três importantes setores da atividade econômica cresceram abaixo do PIB, em 2007: Agropecuária (5,3%), Serviços (4,7%) e Indústria (4,9%). Quem puxou o crescimento do PIB, na verdade, foi a arrecadação dos impostos indiretos, rubrica integrante do cálculo, com excessivos 9,1%.

“No momento em que se começa a discutir a Reforma Tributária, esta significativa evolução dos impostos no ano passado — acima do crescimento do setor privado —, deve ser um alerta para a sociedade: é preciso domar a fúria arrecadatória do Governo”, alerta Paulo Skaf, presidente da Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp).

 
Agência Ciesp de Notícias
12/03/2008