Carga tributária brasileira supera a dos EUA - CIESP

Carga tributária brasileira supera a dos EUA

 

A carga tributária brasileira é mais de 10 pontos percentuais (p.p.) superior à da norte-americana segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). A arrecadação de impostos nos Estados Unidos representa aproximadamente 25% do Produto Interno Bruto (PIB). No Brasil, a estimativa é de o governo tenha arrecado R$ 927 bilhões no ano passado, o que representa 36% do PIB.

 
Com o fim da CPMF e os aumentos do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), a carga tributária brasileira deve cair 0,5 ponto percentual, para 35,5%, neste ano. A projeção de que arrecadação suba R$ 1,17 trilhão, com o crescimento da economia interna. O presidente do IBPT , Gilberto Luiz do Amaral, afirma ainda que, além de carga tributária menor, os Estados Unidos adotaram um sistema que concentra a cobrança de impostos no patrimônio e renda, que representam pouco mais de 50% da arrecadação total – ou seja, quem ganha mais paga mais. Já no Brasil 50% da arrecadação recai sobre o consumo e 24% sobre os salários.
 
Com isso, faz sentido que no pacote de redução de impostos para estimular a economia norte-americana ataque os tributos sobre o patrimônio e renda."No Brasil, não seria significativo o impacto de uma redução no Imposto de Renda", afirma.
 
Sem a CPMF
Para a Receita Federal, o fim da cobrança da CPMF vai resultar em uma redução de quase 1% na carga tributária do País. Pelos cálculos do coordenador de Política Tributária do Fisco, Ronaldo Lázaro Medina, o efeito do fim do chamado imposto do cheque, já considerados os efeitos do recente aumento das alíquotas do IOF e da CSLL para compensar parte das perdas com o fim da CPMF, deverá ser uma redução de 0,93% na carga tributária do País.
 
Fonte: Gazeta Mercantil
 
Agência Ciesp de Notícias
21/01/2008