Brasil pode ser maior rede signatária do Pacto Global das Nações Unidas - CIESP

Brasil pode ser maior rede signatária do Pacto Global das Nações Unidas

O Comitê Brasileiro do Pacto Global (CBPG) pode transformar o país, em 2010, na primeira rede do mundo em número de empresas signatárias. A iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU), lançada em 2000, lista dez princípios empresariais para transformar o planeta e reúne mais de sete mil organizações articuladas por 150 redes no mundo todo.

Atualmente, 316 companhias brasileiras assinam o Pacto Global, que estimula a responsabilidade social no setor privado – o que coloca o Brasil em quinto lugar em número de signatários. Mas, segundo o presidente do CBPG e diretor de responsabilidade social do Ciesp, Vitor Seravalli, há espaço para elevar o país ao primeiro posto, hoje ocupado pela Espanha, com cerca de 700 organizações.

“Fazemos tantas ações isoladas em sustentabilidade e, quando surge uma iniciativa global que tem tudo para nos dar visibilidade, nem sempre é aproveitada como poderia”, afirmou o diretor, durante reunião do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp nesta segunda-feira (26). Seravalli representa a Fiesp no Comitê, que também é signatária do Pacto.

“Nossa meta é transformar a rede brasileira na primeira do mundo. Está faltando pegar esse nosso potencial empresarial e juntá-lo a uma ação que dê às empresas a capacidade de comunicar suas iniciativas socioambientais”, acrescentou.

Criado em 2003, o Comitê Brasileiro é um grupo voluntário formado por 30 organizações nacionais. Sua finalidade: promover a adoção e incorporação dos princípios do Pacto Global na gestão de negócios das empresas que operam no Brasil, como forma de fortalecer o movimento de responsabilidade social no país.

Segundo Vitor Seravalli, empresas com mais de seis funcionários já podem ser signatárias do Pacto e criam condições de serem notadas pelos públicos de interesse (stakeholders). No Brasil, a participação é igualmente dividida entre as grandes (54%) e as pequenas e médias (46%) empresas.

“Os relatórios de sustentabilidade ficam visíveis no site internacional do Pacto Global. Quando a ONU reconhece a iniciativa como progresso notável, a empresa ganha uma estrela. É um benchmarking natural”, aconselha o diretor do Ciesp e presidente do CBPG.

Para saber como participar, acesse o site da rede brasileira do Pacto Global, ou informe-se no Ciesp, pelo e-mail atendimento@ciesp.org.br .

Mariana Ribeiro, Agência Ciesp de Notícias