Álcool sustenta atividade industrial paulista em abril - CIESP

Álcool sustenta atividade industrial paulista em abril

 

Mariana Ribeiro, Agência Ciesp de Notícias

O Indicador de Nível de Atividade (INA) da indústria paulista registrou crescimento de 0,6% em abril sobre março, na série com ajuste sazonal. Sem o ajuste, o índice apontou recuo de 2,2%, considerado normal para o período. O levantamento foi divulgado nesta sexta-feira (27) pelo Ciesp e a Fiesp.Na avaliação de Walter Sacca, diretor adjunto de Economia das entidades, o resultado veio dentro do esperado mas se deveu, em parte, à performance do setor ligado à produção de álcool, por conta da antecipação da safra.“O INA deste mês foi sustentado pelo álcool, já que outros setores que também vinham bem, como metalurgia básica e veículos automotores, dão sinais de desaceleração”, afirmou Sacca.

Comparativo
O desempenho de janeiro a abril deste ano é 4% maior do que o registrado no mesmo período de 2010, porém um pouco abaixo da média de anos anteriores.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) teve ligeira queda no mês – 82,3% contra 83% na última medição, na série livre de influência sazonal. Entre as variáveis do levantamento, destaque para o total de vendas reais: alta de 3,1% contra março e de 10,8% sobre abril de 2010.

Dos setores avaliados pela pesquisa, destacam-se:

Coque, Refino de Petróleo, Combustível Nuclear e Produtos de Álcool, com crescimento de 0,7% sobre março, em termos ajustados. Em boa performance, as vendas reais do setor dobraram em um mês devido à antecipação da safra;

Produtos Químicos, Petroquímicos e Farmacêuticos, com recuo de 0,3% no mês, indício de atenuada no ritmo de crescimento. O segmento sofre com a participação dos importados, que atingiu um terço do total de vendas;

Metalurgia Básica, que ficou estável na passagem mensal e tende a se acomodar em patamar inferior ao pré-crise.

Expectativa
A percepção dos empresários com relação ao cenário econômico no mês corrente, medida pelo Sensor Fiesp, caiu mais de três pontos em maio e ficou em 51,1, ainda acima do ponto considerado neutro.

A apuração deste mês registrou baixa nos itens mercado (54,6), vendas (50,7) e emprego (48,9), além do estoque excessivo (44,3). Apenas a expectativa para investimentos subiu no período, de 54,3 para 57,1 pontos.

Para Walter Sacca, a queda generalizada no indicador pode indicar um otimismo mais tímido por parte do empresariado e tendência de arrefecimento da atividade produtiva. Mas o diretor disse ser precipitado traçar um quadro mais conclusivo. O Ciesp e a Fiesp mantêm a previsão de 3,5% para o INA em 2011.